terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Visão Espírita na Homosexualidade e bisexualidade

O Espiritismo vê o sexo como algo mais amplo do que a mera relação corporal, representando sublime manifestação de amor e troca de vibrações superiores, entretanto, para que assim seja, é necessário que se compreenda o amor como sentimento elevado e não simplesmente como o desejo, a libido ou o ato sexual. Portanto, sexo demanda amor, responsabilidade e comprometimento. Raros são os habitantes da Terra que aqui estão em missão, a grande maioria tem na experiência corporal, a oportunidade de aprendizado e crescimento. Na área do sexo também é assim. Temos que superar os excessos que trazemos conosco. A bissexualidade e a homossexualidade são experiências muitas vezes dolorosas, em que um espírito (normalmente por abusos na área do sexo, provenientes de reencarnações passadas) não se encontra totalmente ajustado a sua forma física e que por isso muitas vezes é alvo da incompreensão e do desprezo da sociedade e várias vezes até da própria família. O Espiritismo por reconhecer essas situações, vê nessas experiências, provas ou expiações, que o indivíduo deve vivenciar para transformar o excesso do passado em aprendizado para o futuro. Essa vivência necessita, como nos diz Raul Teixeira: "Um regime de imperiosas disciplinas em sentido amplo, capazes de ensejar à alma, se atendidas, benção de venturas crescentes a projetarem luzes de paz, de harmonia para o amanhã". Ainda segundo Teixeira:
"Se um companheiro ou uma companheira percebe em si as inclinações homossexuais, que procure identificar nisso os gritos da expiação, induzindo à educação para que a vida seja vitoriosa." Ou seja O Espiritismo recomenda, sem espírito de condenação, que as pessoas que identifiquem em si essas tendências, e mesmo tendências a práticas heterossexuais abusivas, que canalizem essas energias para outras áreas, como as artes ou as atividades de ajuda ao próximo. A para todos aqueles que observam tendências dessa natureza em companheiros reencarnados citamos Emmanuel: "É forçoso se lhes dê o amparo educativo adequado." Com respeito e compreensão aos irmãos, que assim como todos nós, estamos neste planeta para superar nossas limitações e corrigir os equívocos do passado.

Caso você deseje aprofundar o tema, sugerimos a leitura dos livros:

Vida e Sexo, Emmanuel, psicografado por Chico Xavier; Educação & Vivências, Camilo, psicografado por Raul Teixiera; Loucura e Obsessão, Manoel Philomeno de Miranda, psicografado por Divaldo Franco Artigo Homossexualismo de Luís de Almeida, na Revista de Espiritismo nº 39, abril-maio-junho 1998

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário